Mecanismos de Defesa do Ego encontrados no personagem: Aroldo, o hétero

Análise do personagem Aroldo, o hétero, com base em um quadro do programa de Chico Anísio por Alexandre Reis de Miranda. Atividade complementar da aula de Mecanismo de Defesa do Ego da turma de Formação em Psicanálise Clínica – T2/2018 da Academia de Terapeutas.



A apostila Mecanismos de Defesa, do psiquiatra e psicanalista, Dr. Carlos Eduardo Rios Pereira, resgata o apontamento de Freud de que esses mecanismos são "processos psíquicos inconscientes que aliviam o Ego do estado de tensão psíquica entre o ID intrusivo, o Superego ameaçador e as fortes pressões que emanam de realidade externa". (O EU e o OUTRO)


Já sobre a interação entre o ID, o Ego e o Superego, é feito o alerta de que "uma pessoa com boa força no Ego é capaz de gerir eficazmente essas pressões, enquanto que aquela com a força do Ego demasiada ou pouca pode tornar-se inflexível demais ou muito perturbada" na apostila Freud 1 - Vida, Obra, Aparelho Psíquico e Fases Psicossexuais.


Considero relevante esses apontamentos, para a diferenciação dos mecanismos de defesa conscientes do Eu e os mecanismos de defesa acionados pelo inconsciente, e suas consequências.


O episódio trazido ao exercício do personagem Haroldo, do humorista Chico Anysio, expõe mecanismos de defesa, que podem ser originados no inconsciente de possíveis analisandos.


Entre os mecanismos da obra de Freud, podemos observar algumas falas que mais se destacam, ligadas a: Fantasias, Repressão, Atuação, Humor, Identificação, Negação e Projeção, além do mecanismo de Desvalorização na defesa contra a inveja, segundo Wilfred Ruprecht Bion.


Seguem os exemplos observados nas falas dos personagens:


  • Humor: os personagens bichas comentam "ele era um grande amigo"... "e como era grande".

  • Identificação: Haroldo diz "não começa, Martino"... e Martino responde "meu nome é Telma".

  • Negação e Repressão: os personagens bichas respondem à viúva "onde é que você está vendo bichas?".

  • E continuam com um mecanismo de defesa de Projeção: "bicha aqui?... só se for o japonês".

  • Negação e Atuação: Haroldo responde à afirmação da viúva de que é bicha "olha aqui... eu sou hétero, ando como hétero, falo como hétero".

  • Humor: Martino fala para Haroldo "corta essa. Se ele fosse seu irmão, você teria que ser presa por incesto".

  • Fantasia: a viúva fantasia que tinha uma relação normal com seu marido, mas não quis saber da sua suspeita com a "tal Luana", até que se depara com a realidade.

  • E quando se depara com a realidade, ainda Denega: "eu até sabia que ele tinha uma amante, mas não que a amante fosse um boiolão".

  • Negação: novamente de Haroldo - "eu não sou a tal Luana. Eu sou o Haroldo, o tal!"

  • Fantasia: novamente da viúva, que não quer acreditar que o marido morreu nos braços de uma bicha. "Mentira, mentira. O Carlão sempre gostou de fazer o balanço sozinho". E mais uma vez tem que se deparar com a realidade, que vem à tona com o Humor do Haroldo "já viu que balanço tem o ativo e o passivo?".

  1. FARIA, Lúcio; e SILVA, Marlene Euclides da, Freud 1 - Vida, Obra, Aparelho Psíquico e Fases Psicossexuais - DF: Academia de Terapeutas (p. 45)

  2. PEREIRA, Carlos Eduardo Rios. Apostila Mecanismos de Defesa. Associação Psicanalítica do Vale do Paraíba. 2014. (páginas 4, 5 e 35)

397 visualizações

© 2019 - Instituto Âmago